Child pages
  • changelog conferência web 2018
Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Administrador institucional remover usuário "não aprovado"

Administradores institucionais podem remover qualquer usuário da sua instituição.

Eles tem tando a opção de desabilitar o usuário, que vai remover o usuário da instituição mas vai manter o cadastro no portal, como de remover completamente o usuário do portal.

Eles podem tomar essas ações sobre usuários aprovados e não aprovados da mesma maneira.

Alertar quando a cota de gravações estiver terminando

Administradores institucionais serão avisados quando a quantidade de disco utilizada estiver chegando perto do limite de quota da instituição.

São enviados aviso aos 70% (“warning”), 90% (“critical”) e 100% (quota esgotada). 

Todos administradores da instituição receberão o aviso por e-mail 1 vez por semana enquanto a utilização estiver acima dos 70%.

Permitir login federado nas salas virtuais

Permitir que qualquer usuário faça o login federado através da CAFe,  mesmo que sua instituição não aderido ao serviço, entre como convidado em uma sala virtual.

Ele é apenas autenticado e ingressa na conferência com sua identificação da CAFe. Com isso, mesmo pessoas cujas instituições não estão na CAFe agora poderão fazer login via CAFe para entrar em uma conferência.

No caso do usuário clicar no logo da CAFe nas páginas de registro ou login é feita a tentativa de criação de uma conta para o usuário da mesma forma que funcionava até então. 

Se um usuário que já possui conta no portal fizer o mesmo procedimento (fizer login via CAFe na página de entrada em uma conferência), esse usuário serálogado na sua conta do portal e acessará a conferência usando sua conta.

Reformulação de permissões das gravações

Permissões de gravação agora são aplicadas quando um usuário entra em uma conferência e não mais quando a sala é aberta. Isso dá mais flexibilidade aos usuários e evita ter que fechar a sala e abrí-la novamente para conseguir gravar. 

Esta é uma lista das principais mudanças e pontos importantes relacionados à esta entrega:

  • Admin global pode gravar mesmo em salas cuja instituição estourou sua cota. Admin da instituição não consegue gravar depois que a quota da sua instituição esgotou.

  • Admin da instituição consegue gravar ao entrar na sala de um usuário da sua instituição mesmo que esse usuário, que foi a pessoa que abriu a sala, não tenha permissão de gravar.

  • Admin da instituição pode gravar mesmo sendo participante (não moderador) na sala de um usuário da sua instituição. Admin global entra sempre como moderador e também pode gravar.

  • Agora existe a opção de um admin global ou institucional entrar em uma sala depois que já está em andamento e gravar ela. Serve como plano B para caso ninguém na sala esteja conseguindo gravar (ninguém com permissão ou quota da instituição esgotada). O mesmo vale para
    comunidades: caso um usuário sem permissão de gravar tenha aberto a sala, outro usuário com permissão pode entrar na sala e gravar a conferência.

  • Usuário agora pode receber permissão de gravar enquanto a reunião está em andamento e ele só precisa entrar na reunião novamente para conseguir gravar a reunião. A reunião não precisa ser reiniciada. (É necessário fechar a janela da conferência e entrar novamente pelo portal, apenas dar “F5” na janela da conferência não funciona.)

  • Agora a permissão de gravar a reunião não depende mais do usuário ser moderador da sessão. Se ele tem permissão de gravar de acordo com a lógica do portal ele vai conseguir gravar mesmo sendo participante na reunião.

Integração com Vídeo Conferência através do Protocolo SIP

Foram incorporadas ao Mconf-Live duas formas de interação com clientes SIP:

  • inbound: um cliente SIP pode discar para sip:<voice_bridge>@<servidor> e se conectar na sala. A chamada pode ser realizada tanto por TCP quanto por UDP na porta padrão SIP 5060.

  • outbound: o moderador da sala pode discar para o cliente SIP, via IP ou nome de domínio. Quando a chamada é completada, é possível enviar mensagens DTMF para o cliente, o que permite integração com URAs, como por exemplo um MCU Polycom.

Uma vez conectado na sala, o cliente SIP pode interagir através de áudio, vídeo e conteúdo. Via Mconf, o participante vai enxergar na janela de vídeos todos os vídeos de clientes SIP conectados na sala, ao mesmo tempo, e cada vídeo aparecendo individualmente na janela de vídeos (como se fosse um participante via Mconf). Se o cliente SIP enviar conteúdo, esse conteúdo aparecerá no lugar da sua câmera na janela de vídeos do Mconf.

Já via cliente SIP, o participante vai enxergar o floor da conferência, ou seja, a pessoa que está falando em um determinado momento. Se o floor for o próprio cliente SIP, ele irá enxergar o último floor antes dele, enquanto os demais enxergarão o floor . Se o floor não estiver transmitindo vídeo, será transmitido oúltimo floor que tem vídeo habilitado. Se o apresentador via Mconf transmitir a tela, a tela irá aparecer para os clientes SIP no lugar da câmera do floor.

Notificar o motivo da falta de permissão para gravar

Quando um usuário sem permissão de gravar entrar em uma conferência ele verá o botão de gravação desabilitado e este conterá uma “tooltip” indicando o motivo do usuário não poder gravar. Atualmente existem 3 possíveis motivos, cada um com sua mensagem:

  • O usuário não possui a flag de gravação habilitada. Acontece também para convidados, usuários que entrarem em conferências sem ter uma conta no portal.
  • A cota de gravação do usuário esgotou.
  • O usuário pode gravar, mas não na sala que entrou. Acontece se um usuário que pode gravar entrar na sala de outro usuário, por exemplo.

Nova versão da Sala Virtual

Novas funcionalidades foram incorporadas:

  • Breakout rooms: permite que o moderador divida os participantes em grupos, cada grupo é direcionado para uma sala secundária, e quando o moderador assim desejar, pode trazer todos os participantes de volta;

  • Closed caption: permite que seja incorporado tradução em tempo real em texto realizada por uma pessoa. Esse modo pode ser acessado no layout “Webinar com legendas”;

  • Compartilhamento de tela com Java WebStart: é a forma introduzida pelo BBB pra continuar suportando compartilhamento de tela através do Java, e que apresenta uma melhor performance do que o mecanismo anterior. No Mconf-Live, ainda é possível utilizar o Mconf-Deskshare para compartilhar a tela;

  • Pacotes para Ubuntu 16.04: maior segurança e facilidade no gerenciamento dos servidores com a atualização de Ubuntu 14 para Ubuntu 16 e atualização dos principais componentes internos, como o FreeSWITCH e o red5.

  • Modo ouvinte webRTC: Melhor qualidade de áudio para o modo ouvinte da sala virtual.
  • Compartilhamento de Tela webRTC: Compartilhamento de tela com tecnologia webRTC mais simples e rápido de usar.

Exibir quota de gravação da instituição por hora no portal

O portal agora mostra quantas horas ainda restam na cota de gravação de cada instituição. Este cálculo é feito considerando quanto espaço de quota ainda existe disponível e o tamanho médio das gravações existentes no portal.

Controle de permissão para visualização de uma gravação

As gravações do Mconf sempre foram disponibilizadas através de um link público, ou seja, qualquer pessoa de posse de um link de gravação consegue visualizar ou baixar a gravação. Para proteger os links, foi implementado um mecanismo utilizando JWT e OpenResty.

Por padrão, todos os links de gravações são protegidos e não podem ser acessados diretamente, e é o portal que tem a prerrogativa de liberar ou não o acesso a uma gravação. Caso o usuário tenha acesso à gravação, o portal solicita um token de acesso ao servidor de gravação, liberando o acesso àquela gravação para aquele determinado usuário que acessa a partir de um determinado IP. Essa liberação tem validade de 24 horas. Caso o usuário realize o acesso a partir de um IP diferente, um novo token será requisitado pelo portal.

A visualização da gravação passou a ser realizada dentro do portal, mantendo na barra de endereços do navegador um link do portal que pode ser copiado e compartilhado. As permissões de acesso a este link da gravação seguem essas regras:

  • Em uma sala pessoal, apenas o dono da sala, os administradores da instituição do usuário e os administradores globais possuem acesso à gravação.

  • Em uma sala de comunidade pública, todos tem acesso às gravações, mesmo usuários não logados no portal.

  • Em uma sala de comunidade privada, apenas os membros da comunidade, os administradores da instituição da comunidade e os administradores globais possuem acesso à gravação;

Tornar o teste de uso de uma sala de confweb mais simples e acessível

Foi implementado um testador baseado no projeto de código aberto WebRTC Troubleshooter ( https://github.com/webrtc/testrtc ). O testador verifica os seguintes ítens:

  • Disponibilidade de microfone capturando som
  • Disponibilidade de webcam em diferentes resoluções

  • Conectividade UDP/TCP contra um servidor de TURN

  • Conectividade IPv6

  • Conexão entre peers utilizando um servidor de TURN

  • Conexão entre peers através de NAT

  • Conexão entre peers com o mesmo endereço IP

  • Vazão através de uma conexão de loopback

  • Largura de banda utilizada para vídeo

Diferente do que realizado até então com o testador do Mconf-Live, agora os testes não precisam mais ser realizados contra um servidor Mconf-Live, mas sim contra um servidor de TURN que será instalado na rede.

Implantar retenção de gravações

Gravações agora são removidas automaticamente pelo portal após 6 meses da sua criação.

Os usuários são notificados 10 dias antes da gravação expirar, 1 dia antes e assim que ela expirar. Os usuários notificados são:

  • Em salas pessoais, o dono da sala e qualquer outra pessoa que tenha acionado a gravação durante a conferência.

  • Em salas de comunidades, todos administradores da comunidade e qualquer pessoa que tenha acionado a gravação durante a conferência.

Além disso, o portal também notifica os usuários quando uma gravação está disponível, ou seja, assim que ela acabou de ser processada e apareceu para acesso no portal.

As escolha dos usuários que são notificados segue a mesma lógica acima.

 


 

 

 

 

  • No labels